Capacitação Bíblica Missionária Indígena

E-mail Imprimir PDF

Iniciativa e organização: Amanajé e Instituto Antropos

Coordenação: Iraquitan e Silvéria Carvalho

Consultoria: Ronaldo e Rossana Lidório

Visão

A Capacitação Bíblica e Missionária é um curso que nasceu da necessidade de se preparar missionários locais, sobretudo ribeirinhos e indígenas, sem retirá-los de seu contexto social, familiar e de serviço. Através de encontros modulares semestrais, acompanhamento pastoral além das leituras e trabalhos práticos entre os módulos, o participante será capacitado para cumprir o chamado do Senhor de acordo com sua vocação. Todo o material desenvolvido é específico para o contexto ribeirinho e indígena brasileiro.

Objetivos da CBMI

A Capacitação Bíblica e Missionária possui três objetivos principais:

Ø Prover ensino bíblico, teológico e missiológico fundamental

Ø Expor a importância da vida cristã, sua compreensão, prática e testemunho

Ø Capacitar o participante quanto à evangelização, discipulado e plantio de igrejas


Estrutura e metodologia da CBMI

O presente curso foi construído como uma capacitação e não como ensino normativo. O ensino normativo objetiva a transmissão de conhecimento e habilidade de reconhecimento, bem como assimilação de valores. A capacitação visa aplicar este conhecimento em determinado contexto e circunstância, fornecendo, assim, um guia de interpretação e aplicabilidade em sua área alvo de trabalho. É uma ferramenta.

A metodologia usada para o presente curso terá como base:

Ø A transmissão oral de conhecimento

Ø As repetições cíclicas dos principais valores a serem absorvidos

Ø Os testemunhos individuais que valorizarão a participação

Ø O trabalho em pequenos grupos

Ø A prática do ensino entre os módulos em suas próprias áreas de vida e trabalho


Duração e dinâmica da CBMI

A Capacitação Bíblica e Missionária será desenvolvida junto aos participantes ao longo de 3 anos através de:

Ø 2 módulos anuais com duração de 8 dias cada

Ø Duas leituras e resenhas entre cada módulo

Ø Exercícios práticos relacionados com as disciplinas estudadas, entre cada módulo

Ø Acompanhamento pastoral

Ø Avaliação pessoal

O curso é composto por 12 disciplinas e possui um roteiro cíclico. Assim o participante poderá iniciar por qualquer um dos módulos e mesmo intercalá-los. O participante se graduará quando concluir os 6 módulos bem como as leituras, resenhas e atividades entre os módulos.

O curso propicia que o participante continue com sua dinâmica normal de vida e trabalho. Este é um dos valores da Capacitação. Disponibilizar ferramentas para quem já está trabalhando.

Áreas de estudo e vivência da CBMI.

A Capacitação Bíblica e Missionária é baseada em áreas de estudo e vivência, e não em disciplinas. Usaremos disciplinas apenas para a especialização dos assuntos, porém todo módulo enfatizará as áreas de estudo e vivência, que são:

Ø Estudo bíblico

Ø Vida com Deus

Ø Prática missionária

Este é o fio condutor de todo ensino, leitura, partilhar e pastoreio.

 

Disciplinas da CBMI

As disciplinas que nos ajudarão na especialização dos assuntos dentro destas três maiores áreas de estudo e vivência são:

1. Vida Cristã I (Vida com Deus e santidade)

2. Vida Cristã II (Vida com Deus e relacionamentos)

3. Estudo geral do Antigo Testamento

4. Estudo geral do Novo Testamento

5. Estudo da vida e ministério de Jesus

6. Estudo da vida e ministério de Paulo

7. Missões (Base bíblica e panorama geral)

8. Cuidados com a família e finanças

9. Evangelização e discipulado

10. Plantio de igrejas (estratégias e treinamento de líderes)

11. Plantio de igrejas (organização de uma igreja local autóctone)

12. Pregação bíblica

 

Dinâmica dos módulos

Manhã – Devocional, ministração da disciplina, divisão em grupos (2 a 4 pessoas cada) e retorno para apresentação dos comentários e participação geral.

Tarde – Tempo livre e para conversas individuais com um colaborador, com ênfase no acompanhamento pastoral .

Noite – Ministração da disciplina, divisão em grupos (2 a 4 pessoas cada) e retorno para apresentação dos comentários e participação em geral.

Público alvo

Ø Irmãos ribeirinhos e indígenas, com experiência cristã e recomendados por suas igrejas locais, que sejam líderes em sua própria igreja ou líderes em potencial.

Ø Missionários ribeirinhos ou indígenas que desejem melhor capacitação para o trabalho que já realizam.

Ø No caso de irmãos casados, encorajamos que ambos façam o curso.

 

Pré-requisitos

Ø Ser cristão, tendo tido uma experiência pessoal de conversão

Ø Ser reconhecido por sua igreja local como um crente com bom testemunho

Ø Apresentar carta de recomendação da liderança de sua igreja local

Ø Ter forte desejo de ser mais bem capacitado para a liderança ou ministério cristão


Custos e preparativos

Cada módulo custará R$40,00 por participante, o que incluirá acomodação, alimentação e o material didático. Cada participante deverá trazer sua bíblia, caderno, caneta e lápis. Também sua rede, roupa de cama e banho e objetos pessoais.

Parcerias e Certificado

A Capacitação Bíblica Missionária Indígena é uma iniciativa em parceria com o CONPLEI (Conselho Nacional de Pastores e Líderes Indígenas) e registrada na FTSA (Faculdade Teológica Sul Americana), a qual provê o histórico escolar, diploma e reconhecimento das disciplinas.

O diploma será expedido pela FTSA e conferido aos participantes ao fim de cada conclusão do curso.

Módulos de disciplinas da CBMI

Módulo 1

Ø Vida Cristã I (Vida com Deus e santidade)

Ø Estudo da vida e ministério de Jesus

Módulo 2

Ø Vida Cristã II (Vida com Deus e relacionamentos)

Ø Estudo da vida e ministério de Paulo

Módulo 3

Ø Estudo geral do Antigo Testamento

Ø Evangelização e discipulado

Módulo 4

Ø Estudo geral do Novo Testamento

Ø Missões (Base bíblica e panorama geral)

Módulo 5

Ø Plantio de igrejas (estratégias e treinamento de líderes)

Ø Cuidados com a família e finanças

Módulo 6

Ø Plantio de igrejas (organização de uma igreja local autóctone)

Ø Pregação bíblica


Orientação geral para o ensino e interação (aos professores)

A Capacitação Bíblica e Missionária Indígena (CBMI) distingue-se de um curso normativo formal. Enquanto a ênfase em um curso normativo é a transmissão do conhecimento a capacitação, visa instrumentalizar os participantes com as ferramentas para o trabalho diário e prático. Nossa ênfase, portanto, não será com a memorização e capacidade de explicação do conteúdo que lhe for partilhado mas sim com a compreensão e capacidade de aplicar tal conteúdo em sua vida e ministério.

Capacitações (chamados in service training) são utilizadas em todo o mundo missionário hoje, especialmente para habilitar aqueles que já estão trabalhando, ou exercem liderança em sua igreja local e planejam servir de forma mais ampla.

Sugerimos, assim, que os professores bem como os colaboradores dos módulos da CBMI possam preparar o conteúdo a ser partilhado de forma objetiva e aplicável, visando a capacitação dos participantes.

Alguns valores para que esta dinâmica se torne viável:

1. Clareza na comunicação

O universo indígena é culturalmente diversificado. De forma geral, porém, poderíamos conceber que o indígena possui uma abordagem global e oral de aprendizado.

Globais. Enquanto a sociedade não indígena, em sua maioria, aprende de forma linear, ou seja, fragmentando o conhecimento e estruturando-o, os indígenas aprendem a partir de um valor unitário, não fragmentado. Para o não indígena faz sentido iniciar uma lição explicando os elementos que formam o H2O enquanto para o indígena a figura de um rio, que contém a água, transmite o sentido do conhecimento a ser partilhado. Sugerimos, assim, que utilizemos uma abordagem sobretudo global no partilhar das disciplinas que compõe a CBMI. Se o assunto é a vida de oração inicie trazendo a história de um homem que orava e deixe que as lições mais fragmentadas (3, 4 pontos por exemplo) venham em um segundo plano. Observe e selecione o valor principal (que será unitário) em sua lição e ‘ao redor dele’ construa a lição que há de partilhar.

Orais. A sociedade não indígena convive há muito tempo com o registro enquanto a sociedade indígena se manteve mais oral. É algo que está em franca mudança com a inserção das escolas formais para crianças e adultos mas ainda é certo afirmar que boa parte do universo indígena transmite seus valores a partir de um ambiente oral. Desta forma sugerimos que você valorize as histórias, as ilustrações, as conversas e os testemunhos. Será preciso também escrever, porém, nosso objetivo é que cada participante deixe um módulo da CBMI com um valor claro e reproduzível em sua mente e coração. Algo do qual facilmente se lembrará e também facilmente poderá partilhar com outros.

2. Informalidade e participação

Valorizamos o ambiente informal, as conversas, e o relacionamento durante os módulos. É também importante conduzir os participantes a interagirem, falarem, perguntarem, questionarem. Enfim, desejamos que eles participem e possam usufruir profundamente de cada módulo. Sugerimos, assim, que haja participação geral em todas as lições e que, após as mesmas, sempre se use a prática da divisão em pequenos grupos para que se reflita e pense em formas de aplicação daquilo que está sendo apresentado. Grupos com 3, no máximo 4 pessoas. Sugerimos também que sempre haja um momento para que alguém dos grupos pequenos possa expor seu pensamento ou conclusões para o grupo maior, a cada dia.

A CBMI valoriza o relacionamento. Assim contaremos com professores e colaboradores. Os professores serão responsáveis pelo preparo do conteúdo e abordagem ao grupo. Os colaboradores serão facilitadores que se relacionarão com cada participante e poderão também se distribuir entre os grupos menores para facilitar as conversas.

Planejamos que haja sempre tempo livre, que será usado para fortalecer relacionamentos e amizades, e também para boas conversas mais pessoais e práticas com cada participante.

3. Aplicabilidade prática e diária

Sugerimos que os professores e colaboradores priorizem a aplicabilidade de cada ensino. Ou seja, nosso desejo é que cada participante saia de um módulo da CBMI com um desafio de aplicação daquilo que lhe foi entregue.

4. Experimentação e avaliação

Pedimos que sejam passadas tarefas praticas (entre 2 a 4) para os participantes durante o período entre os módulos. Tarefas que poderão desenvolver em suas casas e ministérios e que estejam ligadas com o assunto da disciplina e do módulo.

Pedimos que estas tarefas sejam passadas para os organizadores da CBMI a fim de que, no próximo encontro, possa acompanhar os participantes neste quesito.

Serão sugeridas duas leituras para cada participante, uma para cada disciplina relacionada ao módulo. Em cada leitura haverá possibilidade de escreverem 2 a 4 páginas sobre os pontos principais que ali identificaram, e como podem ser úteis para suas vidas e ministérios.

Orientação quanto ao discurso

O discurso faz parte da estrutura lingüística de um povo e, via de regra, é usado para definir as diversas formas de comunicação social. Está plenamente integrado à cosmovisão do grupo e portanto segue padrões estabelecidos. Consequentemente, para haver boa comunicação e principalmente entendimento é necessário utilizar e respeitar o discurso vigente. No universo indígena trabalha-se com muitas variáveis linguisticas que envolvem bilinguismo com o português, diferentes graus de aculturamento etc. Porém, há padrões gerais quanto ao discurso, mesmo em português, que podem ser observados. Vão aqui algumas sugestões quanto ao discurso para sessões de ensino e interação com um grupo.

  1. Abandone as lições e aulas já preparadas para um curso normativo não indígena Utilize somente os princípios e contextualize a comunicação e abordagem tendo em mente que a sociedade indígena, em sua maioria, é global, oral e relacional.
  2. Recolha um bom número de histórias e ilustrações locais.
  3. Não fale muito alto para não dar a idéia de que está “ralhando” com o povo.
  4. Observe a diferença entre o pensamento global e o analítico. No analítico você desenvolve um sistema de argumentos ao redor de uma conclusão, por vezes fragmentada. No global você trabalha com basicamente uma argumentação e uma conclusão, comprovadas por um valor bíblico, por uma história e algumas aplicações do dia a dia. Uma estrutura global simples para uma mensagem seria:
  • Apresentação pessoal e saudação
  • História ou ilustração
  • Texto bíblico e explicação rápida e dissertativa
  • Aplicação (preferencialmente com espaço para a participação do grupo)
  • Conclusão (relembrando a história e a aplicação)
  • (Se desejar): memorizar um verso

 

Note, porém, que para expor este ponto utilizamos uma estrutura linear (a, b, c) enquanto eles pensarão de forma global, em círculos ao redor de uma lição ou valor unitário.

 

  1. Quanto ao uso do intérprete, se for o caso, algumas sugestões:
  • Usar frases pequenas e no máximo 3 frases por vez
  • Não usar expressões complexas
  • Não utilizar frases cortadas
  • Evitar termos ou situações pejorativas
  • Preferencialmente discutir o tema central da mensagem previamente com o intérprete
  • Não usar de descontinuismos como “Quando eu estava chegando aqui/”; ou “Havia no meio de uma mata/” pois os ‘cortes’ no discurso diferenciam de língua para língua
  1. Observar, na comunidade ou etnia alvo:
  • Para onde eles olham quando falam em público (Não fitar demasiadamente)
  • Cuidados com a exortação. Um tom severo pode ser mal interpretado.
  • Similaridades com a história ou aplicações no grupo como “Havia um velho em uma comunidade...” ou “Esta é a história de uma criança cega...” pois caso haja alguém nesta categoria no presente grupo poderá haver uma ligação objetiva com a mesma.

Disciplinas

 

Vida Cristã I (Vida com Deus e santidade)

Alvo da disciplina: levar o participante a compreender o valor da vida com Deus e busca por uma vida santa em Sua presença, bem como enfatizar a importância da vida devocional, vida de oração e testemunho cristão.

Esta disciplina deverá abordar:

Ø O valor da devocional na vida do crente

Ø Oração – valor e prática para a vida diária

Ø Santidade como alvo da vida cristã

Ø O fruto do Espírito e a santidade

Ø O valor do testemunho ao próximo

Ø A luta contra a carne, o mundo e o diabo

Ø A missão do Espírito Santo – levando a Igreja a seguir a Jesus

 

 

Vida Cristã II (Vida com Deus e relacionamentos)

 

Alvo da disciplina: Levar o participante a avaliar seus relacionamentos e observá-los à luz da Bíblia. Expor a importância de relacionamentos equilibrados e constantes, do amor ao próximo e do processo de perdão. Observar os relacionamentos como uma das áreas da vida mais atacadas.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø O fruto do Espírito e os relacionamentos com os homens

Ø Valores que definem um relacionamento cristão

Ø O amor como ensino principal para o relacionamento cristão

Ø Como cultivar o amor e desenvolver o perdão

Ø Como agir perante as críticas

Ø A importância de relacionamentos equilibrados e duradouros

Ø Amigos, companheiros de ministério e família

Ø Desenvolvendo alvos quanto ao relacionamento com os outros

 

 

Estudo da vida e ministério de Jesus

Alvo da disciplina: levar o participante a compreender o ambiente histórico e social no nascimento de Jesus bem como Seus ensinos, testemunho e relacionamento com os homens. De forma enfática expor sobre a morte e ressurreição de Jesus, o significado e valor.

Esta disciplina deverá abordar:

Ø O estudo do ambiente histórico e social no nascimento de Jesus

Ø A vida de Jesus e seus ensinos – a vida com Deus, a vida com o próximo e a vida consigo mesmo

Ø A vida de Jesus e seu testemunho

Ø A vida de Jesus e seu relacionamento com os homens

Ø Exemplos de relacionamento de Jesus com discípulos, seguidores e opositores

Ø A morte de Jesus e sua ressurreição: significado e redenção

Ø O alvo da vida cristã – parecer-se com Jesus e segui-lo

 

 

Estudo geral do Antigo Testamento

 

Alvo da disciplina: Ajudar o participante a conhecer o panorama geral do Antigo Testamento, a criação, a queda do homem e a promessa de Deus. Deus escolhendo um povo dentre muitos, os profetas e a expectativa do Messias.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø A criação, a queda humana e a promessa do Messias

Ø Deus escolhe um povo dentre muitos – o Israel de Deus

Ø As mensagens proféticas e seu valor para nossos dias

Ø A mensagem de Habacuque – Deus se cala no sofrimento mas provê a salvação

Ø A mensagem nos Salmos – Deus é nossa fortaleza e confiança

Ø A expectativa de Jesus que viria – O messias

Ø O tabernáculo e seu significa para o povo de Deus no passado e hoje

 

 

Estudo geral do Novo Testamento

 

Alvo da disciplina: Ajudar o participante a conhecer o panorama geral do Novo Testamento, a mensagem central dos Evangelhos, a mensagem central das cartas Paulinhas e a mensagem central em Apocalipse. Deus construindo Sua Igreja na terra. A vida diária da Igreja no livro de Atos.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø A mensagem central dos Evangelhos: nascimento, morte e ressurreição de Cristo.

Ø A mensagem central nas cartas paulinas: a edificação da Igreja

Ø A mensagem central em Apocalipse: os últimos dias

Ø A vida diária da igreja em Atos: a comunhão, oração, vida com Deus e pregação da Palavra.

Ø A expansão da igreja em Atos: a partir de Jerusalém e a partir de Antioquia

Ø Ensinos para a Igreja na carta de Paulo aos Filipenses

 

 

Estudo da vida e ministério de Paulo

 

Alvo da disciplina: Levar o participante a conhecer Paulo, sua conversão, chamado, prática missionária e ensino. Paulo como teólogo e missionário que falou à Igreja e fala em nossos dias. Destacar os ensinos de Paulo em relação à salvação de Deus e missão da Igreja.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø A conversão de Paulo

Ø O chamado de Paulo e seu ardor missionário

Ø As viagens missionárias de Paulo

Ø Os ensinos de Paulo, sobretudo a teologia da salvação

Ø A Missão da Igreja nos ensinos de Paulo aos Romanos

 

 

Missões (Base bíblica e panorama geral)

 

 

Alvo da disciplina: Partilhar com o aluno a base bíblica para a obra missionária bem como levá-lo a compreender a maneira multiforme como Deus usou e usa homens e mulheres para o crescimento do Seu Reino. Enfatizar a responsabilidade missionária da Igreja.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø A Igreja como sal da terra e luz do mundo – Missões na perspectiva de Jesus

Ø A Igreja atuando onde Cristo não foi anunciado – Missões na perspectiva de Paulo

Ø Deus usando homens e mulheres, de diversas formas, para o crescimento do Seu Reino.

Ø A responsabilidade missionária da Igreja, onde ela está e até aos confins

Ø Biografias missionárias

 

 

Cuidados com a família e finanças

 

Alvo da disciplina: Instruir quanto aos cuidados a se ter com a família: relacionamento entre esposo e esposa, criação dos filhos e construção do lar segundo os valores de Deus. Instruir quanto à vida financeira: organização financeiras, fidelidade, dívidas, dízimo e valores bíblicos que norteiam o uso do dinheiro.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø Relacionamento entre esposo e esposa: cuidados e alegrias

Ø O testemunho de um lar cristão

Ø Criação de filhos: orientação bíblica

Ø Organizando a vida financeira

Ø Evitando dívidas e sendo fiel no uso do dinheiro

Ø Valores bíblicos que norteiam o uso do dinheiro

 

 

Evangelização e discipulado

 

Alvo da disciplina: Despertar o participante para a evangelização pessoal e em grupo bem como enfatizar o grande valor do discipulado. Levá-lo a perceber o seu dom e chamado ao ministério. Prover ferramentas práticas (textos bíblicos e abordagem) para a evangelização e uma metodologia para o discipulado.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø O valor da evangelização individual e em grupos

Ø Textos bíblicos e abordagens evangelísticas

Ø A evangelização em contexto urbano e em contexto de aldeia

Ø O valor do discipulado – o que é fazer discípulos e qual sua importância

Ø Os alvos para o discipulado – levar alguém a seguir a Cristo

Ø Metodologia do discipulado – abordagens, técnicas e materiais a serem usados

 

 

Plantio de igrejas (estratégias e treinamento de líderes)

 

 

Alvo da disciplina: Partilhar sobre o valor do plantio de igrejas para o enraizamento do Evangelho em um povo ou região. Estratégias para o plantio de igrejas e treinamento de líderes locais.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø O que é plantar igrejas. Seu valor para o enraizamento do evangelho em um povo ou região.

Ø Plantio de igrejas no ministério de Paulo

Ø Estratégias para o plantio de igrejas: estudando o local e o povo; introduzindo o evangelho a partir de pessoas e famílias; o ajuntamento para adoração; o ensino dos princípios bíblicos essenciais

Ø Treinamento de líderes locais

Ø Modelos para plantio de igrejas

 

 

Plantio de igrejas (organização de uma igreja local autóctone)

 

 

Alvo da disciplina: Instruir o participante sobre o processo de amadurecimento de uma igreja local levando-a se tornar autóctone - auto-sustentável, auto-governável e auto-propagável.

 

 

Esta disciplina deverá abordar:

 

 

Ø O valor do plantio de igrejas

Ø Modelos de igrejas plantadas e autóctones ao redor do mundo

Ø O conceito de uma igreja autóctone

Ø Como se tornar auto-sustentável

Ø Como se tornar auto-governável

Ø Como se tornar auto-propagável

Ø Igrejas plantando igrejas

 

 

Pregação bíblica

 

Alvo da disciplina: Expor sobre o valor da exposição da Palavra. O conhecimento do texto e seu significado, a forma como transmiti-lo de maneira fiel, o cuidado com a contextualização.

 

 

Esta disciplina deverá abordar

 

 

Ø O valor da exposição bíblica

Ø A fidelidade à Bíblia na pregação ao povo de Deus

Ø O estudo do texto – procurando seu significado

Ø Ferramentas de estudo do texto bíblico

Ø A transmissão da mensagem – abordagem do povo e comunicação

Ø A contextualização do ensino e aplicação no dia a dia do povo

Ø Modelos de exposição bíblica

Ø Prática de exposição bíblica pelos participantes

Última atualização em Sáb, 13 de Dezembro de 2014 15:21

PageViews (Visitação)

14 de dezembro de 2014

Páginas acessadas: 2.835.416
Hits: 11.754.236

Desde 12 de novembro de 2005

Visitantes

You are here Início