Banner

Observação Participante

E-mail Imprimir PDF

Curso cedido por Bárbara Burns

 

New York: Holt, Rinehart, and Winston, 1980

Esboço escrito por Lois McKinney, com algumas modificações por Donald E. Price e Barbara Helen Burns

Ao longo das aulas, o aluno completará a leitura de Roberto DaMatta. Relativizando: Uma Introdução à Antropologia Social, pp. 143-240, fazendo uma declaração simples de leitura. Introdução
1. Definições:
1.1. Etnografia
1.2. Cultura
1.2.1. Comportamento Cultural
1.2.2. Artefatos Culturais
1.2.3. Conhecimento Cultural
1.2.4. Interaçionismo Simbólica
1.3. D.R.S. (Developmental Research Method Sequence – Desenvolvimento Sequencial de Método de Pesquisa)) 2. Princípios Éticos
2.1. Colocar os informantes em primeiro lugar;
2.2. Comunicar os objetivos da pesquisa;
2.3. Defender a privacidade dos informantes
2.4. Proteger os direitos, os interesses e as sensibilidades do informantes;
2.5. Não se aproveitar dos informantes;
2.6. Deixar os relatórios à disposição dos informantes.

3. O Ciclo de Pesquisa Etnográfica
3.1. Passos da Pesquisa Social Tradicional – Modelo Linear
3.1.1. Definir o problema a ser pesquisado;
3.1.2. Formular hipóteses;
3.1.3. Formular Definições Operacionais;
3.1.4. Desenvolver um instrumento de pesquisa;
3.1.5. Reunir os dados;
3.1.6. Analisar os dados;
3.1.7. Chegar às conclusões;
3.1.8. Relatar os resultados.

3.2. O Ciclo da Pesquisa Etnográfica

4. Situação Social
4.1. Podemos interpretar situações sociais através de três elementos principais: O lugar, os atores e as atividades.

4.2. As situações podem se relacionar por
4.2.1. Agrupamentos (ligados por proximidade física)
4.2.2. Redes (Ligadas porque as mesmas pessoas participam de situações diferentes)

4.2.3. Atividades (As mesmas atividades podem ocorrer em diversos lugares)

 

PRIMEIRO PASSO – Localizando uma Situação Social (Critério de Seleção)

1. Simplicidade
2. Acessibilidade ou Facilidade de conseguir
3. Cuidado para não chamar atenção
4. Uma atividade que acontece com freqüência – pelo menos uma vez por dia
5. Nível de participação exigido – moderado é melhor
6. Oportunidade de fazer anotações
7. Interesse pessoal
8. Limites de tempo e de condução
9. Considerações Teóricas

TAREFA
1. Fazer uma lista de pelo menos cinqüenta situações sociais onde alguém poderia fazer observação participante.
2. Identificar cinco ou sei das melhores situações em termos dos seus próprios interesses e dos critérios citados.
3. Escrever 3-4 páginas sobre o que é uma etnografia, usando definições e ilustrações.

SEGUNDO PASSO – Diferenças entre o participante normal e o observador participante

O PARTICIPANTE NORMAL
O OBSERVADOR PARTICIPANTE
1. Envolve-se na atividade
1. Envolve-se e observa
2. Evita uma sobrecarga sensorial
2. Aumenta sua capacidade de percepção sensorial conscientemente.
3. Atenção focalizada e dirigida
3. Percepção profunda e abrangente
4. Experiência subjetiva
4. Experiência tanto subjetiva quanto objetiva. Tanto alheio ao grupo quanto conhecido dele.
5. Geralmente não introspectivos
5. Usa a introspeção conscientemente como instrumento de pesquisa.
6. Geralmente não faz um relatório de suas observações.
6. Faz relatórios detalhados.

 

N.B. Os níveis de participação podem variar desde o nulo, passivo, moderado, ativo até o completo. A participação moderada geralmente rende os melhores resultados.TAREFA
1. Fazer observação participante por 30 minutos em qualquer situação social não familiar.
2. Fazer algumas anotações e identificar todos os problemas encontrados no ato de assumir o papel de observador participante.
3. Fazer uma visita de reconhecimento a um ou mais lugares onde há situações sociais como possíveis alvos de sua pesquisa etnográfica. Fazer uma seleção final para seu projeto.
4. Escrever 1-2 folhas explicando como você escolheu o lugar. O que observou? Quais foram as suas reações? (Se não conseguiu achar o lugar ainda, faça esta tarefa no próximo passo.)

TERCEIRO PASSO – Fazer um Registro Etnográfico

1. Três princípios para a anotação.
1.1. Identificação da linguagem- Anotar a identidade do autor da linguagem usada;
1.2. Literal – Escrever exatamente aquilo que foi falado;
1.3. Concreto – Anotar o maior número de detalhes possíveis.
2. Quatro divisões do caderno etnográfico:
2.1. Relatório condensado – Utilizar palavras e frases chaves anotadas no lugar da visita ou pouco depois.
2.2. Relatório ampliado – Colocar o maior número possível de detalhes logo que possível após a visita.
2.3. Diário – Reações e sentimentos pessoais e percebido dos outros. Introspeção.
2.4. Análise e interpretação (vai incluir análises de domínio, componentes e taxionomia. Identifica temas culturais. Descreva aqui sua compreensão, mesmo que preliminar, da situação estudada.)

TAREFA
1. Crie um caderno com divisões para:
1.1. relatórios condensados;
1.2. relatórios ampliados;
1.3. um jornal diário;
1.4. análise e interpretação
2. Realize um período de observação participante e escreva sobre sua experiência.
3. Selecione uma parte do relatório resumido e, usando uma linguagem mais concreta, tente expandi-la em vários parágrafos.

QUARTO PASSO – Fazer Observações descritivas

1. Observações gerais – uma observação geral do espaço, dos participantes, das atividades, dos objetos, dos atos, dos eventos, dos tempos, dos alvos e dos sentimentos na situação social.
2. Observações específicas – Uma relação detalhada dos espaços, participantes, das atividades, etc.
3. Dois auxílios:
3.1. Padrão das perguntas descritivas (anexo):
3.2. A Classificação de perguntas de Dillon (Review of Educational Research, Fall 1984, vol. 54, no. 3, ps 327-361)

 

CATEGORIA DA PERGUNTA
 
 
CONHECIMENTO EXIGIDO NA PERGUNTA-RESPOSTA
Classe Zero
Nenhum
0. Retórica
Nenhum conhecimento ou resposta
 

 

 

 

Classe Um - Características
Atributos individuais de P e de Q
1. Existência / Afirmação ou negação
Se P é
2. Instância ou identificação
Se isto é P
3. Substância ou definição
Que é P
3.1. Natureza
- O que faz P ser P
3.2. Nome
- Se P se chama “P”
3.3. Sentido
- O significado de P ou “P”
4. Caráter ou descrição
O que P tem
5. Função ou aplicação
O que P faz
5.1. Modos
- Como P age
5.2. Usos
- O que P pode fazer
5.3. Meios
- Como P é feito, ou faz.
6. Racional ou explicação
Por que o como P tem atributos
 

 

 

 

Classe Dois – Comparações
Atributos comparativos de P e de Q
7. Concomitância
Se P vai junto com Q
7.1. Conjunção
- Se P e Q são associados
7.2. Desunião
- Se P e Q representam alternativas
8. Equivalência
Se P e Q são semelhantes e como
9. Diferença
Como P e Q são diferentes
9.1. Desproporção
- Se P é mais ou menos como Q
9.2. Subordinação
- Se P faz parte de ou é totalmente Q
 

 

 

 

Classe Três - Contingências
Atributos contingentes de P e de Q
10. Relação
Se P se relaciona com Q
11. Correlação
Se P e Q “covary” (variam juntos)
12. Condicionalidade
Se e como se P, então Q, ou vice versa
12.1. Conseqüência
- Se P então Q, ou que X se P
12.2. Antecedência
- Se Q então P, ou que X então P
13. Bicondicionalidade (Causalidade)
Se ou como se P então Q e se Q então P
 

 

 

 

Classe Extra - Outro
Outros atributos ou meios de conhecer
14. Deliberação
Se fazer e pensar P
15. Não especificado
Conhecer P de outras formas
16. Outro
Desconhecido

 

TAREFA
1. Escrever uma série de 25 perguntas que levarão às observações gerais e mais específicas sobre o espaço e objetos no seu ponto de pesquisa. Para fazer isto, recordar anotações prévias.
2. Com estas perguntas em mente, conduzir um período de observação participante em que você fará observações gerais e específicas, usando, como sempre, seu caderno.
3. Escrever 2-3 páginas em papel A4 sobre a descrição física do seu ponto de observação.

 


QUINTO PASSO – Analisar os domínios

1. Definições

1.1. Domínios Culturais – Categorias de sentidos culturais compostas por termos de cobertura, termos incluídos e relacionamentos semânticos
TERMOS INCLUÍDOS
RELACIONAMENTOS SEMÂNTICOS
TERMOS DE COBERTURA
Y
Y
Y
Y
Y
Y
1. Categoria (“É um tipo de”)

 

 

X
-
-
-
2. Espaço (“É um lugar em” ou “É uma parte de”)

-
-
-
3. Causa e Efeito (“É um resultado de” ou “É a causa de”)

-
-
-
4. Razão (“É uma razão para”)

-
-
-
5. Lugar de ação (“É um lugar para” ou “Acontece no)

-
-
-
6. Utilidade (“É usado para” ou “É o uso de”)

-
-
-
7. Meios – Fins (“É um meio de”)

-
-
-
8. Seqüência (“É um passo em”)

-
-
-
9. Atribuição (“É uma característica de”)

-
-
-
10. Função (“É a responsabilidade de”)
 

 

 

1.2. Domínios folclóricos – Termos usados pelos atores na situação social.
1.3. Domínios mistos – O pesquisador cria alguns termos que retém alguns dos termos dos atores.

1.4. Domínios analíticos – Nenhum termo folclórico. O etnógrafo cria nomes.
2. Passos para fazer uma análise de domínio

2.1. Selecionar um relacionamento semântico.
2.2. Preparar uma folha de atividades como o seguinte exemplo:
1. Relacionamento semântico ___Categoria______
2. Forma: X é um tipo de Y
3. Exemplo: Um Gol é um tipo de carro.
Termos Incluídos:
Relacionamento semântico:
Termo de cobertura:
-Gol
-Fiesta

 

É um tipo de

 

-carro
-Passat
-KA
-Escort
-Fiat
Perguntas estruturais: “Quais são todos os tipos de carros que existe?”

 

Agora, o aluno:
Termos Incluídos:
Relacionamento semântico:
Termo de cobertura:
-
-

 

 

 

-
-
-
-
-
Perguntas estruturais:

 

Outro exemplo:
1. Relacionamento semântico ___Espacial__________
2. Forma: X é um lugar em Y
3. Exemplo: A biblioteca é um lugar no CNM.
Termos Incluídos:
Relacionamento semântico:
Termo de cobertura:
-A biblioteca
-O corredor

 

É um lugar em

 

-CNM
-O refeitório
-A recepção
-Os banheiros
-A secretaria
Perguntas estruturais: Quais são todos os lugares no CNM?

 

O aluno, de novo:
Termos Incluídos:
Relacionamento semântico:
Termo de cobertura:
-
-

 

 

 

-
-
-
-
-
Perguntas estruturais:

 

2.3. Selecionar as anotações de pesquisa de campo.
2.4. Procurar os termos de cobertura possíveis;
2.5. Repetir com outros relacionamentos semânticos
2.6. Elaborar uma lista dos domínios identificados (Deverá identificar entre 25 e 200 domínios).
TAREFA
1. Fazer uma análise cuidadosa de dois domínios, seguindo os passos apresentados neste ponto. Basear sua análise nas anotações de pesquisa ampliadas realizadas até este momento.
2. Fazer uma lista resumindo todos os domínios possíveis para pesquisas futuras no seu ponto de observação.
3. Fazer um período de observação participante de pelo menos 45 minutos em que fará mais observações descritivas.

 

SEXTO PASSO – Fazer Observações Focalizadas

1. Existe uma tensão entre um escopo limitado (focalizado) e um ponto de vista holístico-global.

2. Se não descobrir pelo menos 25 domínios, precisa de um escopo maior.

3. Critérios para realizar observações focalizadas:

3.1. Interesse pessoal;
3.2. Sugestões de informantes;
3.3. Interesse teórico (assunto interessante do ponto de vista teórico);
3.4. Interesse estratégico;
3.5. Organização dos domínios.

4. Técnicas para realizar observações focalizadas.

4.1. Elaborar uma lista de domínios para o estudo focalizado;
4.2. Escrever perguntas para fazer enquanto observa;
4.3. Identificar seus pontos de observação;
4.4. Identificar suas atividades.

TAREFA
1. Aumentar sua lista de domínios culturais, utilizando os critérios apresentados neste ponto. Inclui os relacionamentos semânticos e os termos de cobertura.
2. Utilizando esta lista, selecionar um foco etnográfico experimental de um ou mais domínios culturais. Fazer 10 perguntas estruturais relacionados com o foco, utilizando a planilha.
3. Fazer uma observação focalizada no campo depois de ter feito planos cuidadosos para fazer esta observação.
4. Escrever um resumo de 3-4 páginas sobre cenário cultural e social geral

 

SÉTIMO PASSO – Fazer uma análise taxionômica

1. Selecionar um domínio para a análise taxionômica
2. Procurar semelhanças baseadas em relacionamentos semânticos iguais.
3. Procurar ampliar o número de termos com a pergunta: “Quais são TODOS os . . . ?”
4. Procurar ver os domínios maiores, mais inclusivos.
5. Construir um taxionomia tentativa.
6. Fazer observações focalizadas para verificar sua análise.
7. Construir uma taxionomia completa. Pode ser um diagrama quadrado, linhas e nódulo ou um esboço.
DIAGRAMA QUADRADO
DOMÍNIO
(Inclui o relacionamento semântico e termo de cobertura.[1])
A
B
C
D
1
2
3
 

 

 

 

1
2
3
a
b
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                 

 

LINHAS E NÓDULOS
DOMÍNIO
(Inclui o relacionamento semântico e termo de cobertura.)

 

A B C D

 

 

 


1 2 3 1 2 3

 

 


a b
ESBOÇO

DOMÍNIO (Inclui o relacionamento semântico e termo de cobertura.)
A. ---
1. ---
a. ---
b. ---
2. ---
3. ---
B. ---
C. ---
D. ---
1. ---
2. ---
3. ---

TAREFA
1. Fazer uma análise taxionômica sobre um ou mais domínios, seguindo os passos neste capítulo.
2. Durante um período fazer a observação participante utilizando tanto as observações descritivas quanto as focalizadas. Utilizar suas observações focalizadas e conferir sua análise taxionômica.
3. Preparar um diagrama taxionômico completo de um ou mais domínios.
4. Escrever de novo a tarefa 4 do 6º passo, esta vez organizado em domínios, apresentando uma descrição coerente e compreensível da cena cultural no seu ponto de observação.

 

OITAVO PASSO – Fazer Observações Comparativas

1. As observações descritivas procuram ver tudo que acontece. As observações focalizadas procuram categorias e classificações. Enquanto isso, as observações comparativas procuram as diferenças.

2. As observações comparativas usam perguntas que mostram diferenças e contrastes.

2.1. Perguntas duais: Qual é a diferença entre X e Y?

2.2. Perguntas tríades: Quais domínios são semelhantes em alguns aspectos, mas diferentes em um 3º aspecto?

TAREFA
1. Selecionar um ou mais domínios e fazer para si mesmo as perguntas de comparação para descobrir contrastes e diferenças. Rever suas anotações de pesquisa quando necessários para responder a estas perguntas.
2. Realizar um período de investigação no campo no qual vai acrescentar as observações selecionadas aos outros tipos anteriores.
3. Descrever e desenhar um domínio cultural, de preferência relacionado com seu foco, com todos os seus detalhes (taxionomia).

 

NONO PASSO – Realizar Entrevistas Etnográficas

1. Entrevistas etnográficas são realizadas dirigindo perguntas estruturais ou de contraste a um ou mais informantes. Existem três tipos básicos de entrevista

1.1. Informal – O informante não percebe que está sendo entrevistado.

1.2. Formal – O etnógrafo marca uma hora de encontro. O informante sabe que está sendo entrevistado.

1.3 . Tanto em entrevistas formais quanto nas informais, o etnógrafo já preparou as perguntas antes do encontro.

1.4. Conversa – A entrevista se dá como conversa. Não é necessário seguir a ordem das perguntas na lista do etnógrafo. Perguntas que não fazem parte da lista podem ser feitas.

TAREFA
1. Fazer uma lista das pessoas que podem ser entrevistadas formal ou informalmente. Escrever as perguntas a serem feitas.
2. Escrever, em 2-3 páginas, uma explicação de como e porque escolheu seu foco de cultura.
3. Verificar nos seus capítulos introdutórios se incluiu informações sobre contexto, objeto, atores, espaço, funções, ações, atividades, tempo e sentimento. Começar colecionar diagramas, fotos, ilustrações. Pensar (e tenta traçar) em um esboço do trabalho final.

DÉCIMO PASSO – Fazer uma Análise Componencial

1. Selecionar um domínio para análise.
2. Levantar os contrastes e comparasões dentro do domínio.
3. Preparar uma folha de trabalho modelo
4. Identificar as dimensões de comparasão e contraste que tenham valores binário (sim, não)

 

FOLHA DE PESQUISA MODELO: Domínios parciais, “tipos de grupos”
Domínio
O membro usa cruz grega?
Fala Armênio como língua materna?
Fala Curdo como língua materna?
Fala Árabe com língua materna?
M
U
Ç
U
L
M
A
N
O
S
Sunitas

 

não
não
não
sim
Xiitas
não
não
não
Sim
Drusos
não
não
não
Sim
C Á
R R
I A
S B
T E
à S
O
S
Maronitas

 

não
não
não
Sim
Ortodoxos Gregos
 

 

 

 

 

 

Sim
 
 
Católicos Gregos
não
não
não
Sim
Assírios
sim
sim
sim
sim
A
R
M
Ê
N
I
O
S
Apostól-icos

 

não
 

 

não
 
  não
Católicos
não
 

 

não
 
  não
CURDOS
não
não
sim
Não
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


5. Juntar dimensões de comparação e contraste que são relacionadas com aquelas que tem valores múltiplos.

 

DOMÍNIO
Língua materna
Homens: Tatuagens ou cicatrizes
Vestimenta feminina
Primeiro Nome[2]
Muçul-
manos
Sunitas
Árabe
Símbolo Islâmico
Ocidental
7, 11
Xiitas
Árabe
Símbolo Islâmico
Ocidental
7,9,11
Drusos
Árabe
?
Ocidental
7,9,11
C Á
R R
I A
S B
T E
à S
O
S

 

S
Maronitas
Árabe
Cruz, etc.
Ocidental
2,3.4.6.11
Ortodoxos Gregos
Árabe
Cruz, etc.
Ocidental
3,5,6,11
Católicos Gregos

 

Árabe
Cruz, etc.
Ocidental
2,3,6,11
Assírios
Árabe
Cruz, etc.
Ocidental
6,11,12
A
R
M
Ê
N
I
O
S
Apostólicos

 

 

Armênio
 
   

 

Ocidental
 
  1,2,3
Católicos
Armênio
?
Ocidental
1,2,3
Curdos
Curdo
 

 

Tradicional
 
  7,10,111
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

             

 

6. Preparar perguntas de comparasão e contraste para os atributos ausentes.

7. Fazer observações selecionadas para descobrir as informações que faltam.

8. Preparar um modelo completo.

TAREFA
1. Fazer uma análise dos componentes de um ou mais domínios, seguindo os passos apresentados neste capítulo.
2. Realizar um período de observação participante, utilizando os três tipos de observação: descritiva, focalizada e comparativa.
3. Escrever um diálogo entre 2 pessoas que conhecem a cultura. Descrever a situação onde estão conversando.
4. Fazer pelo menos uma análise componencial binário e uma de valores múltiplas, relacionadas com seu foco de pesquisa.

 

DÉCIMO PRIMEIRO PASSO – Descobrir Temas Culturais

 

1. São os atributos de um tema cultural

1.1. Refletir um valor, símbolo, premissa, ethos, ou cosmovisão.

1.2. Repetir-se em vários domínios.

1.3. Ser muitas vezes mais tácito do que explícito, se bem que pode ser explícito.

1.4. Relacionar-se com diversos ou até muitos subsistemas de significado.

2. Estratégias para descobrir temas

2.1. Inserir-se no cenário cultural.

2.2. Fazer uma análise componencial dos termos de cobertura.

2.3. Procurar domínios maiores.

2.4. Identificar domínios organizadores.
2.5. Procurar semelhanças e contrastes.
2.6. Fazer diagramas que esquematizam o cenário cultural.
2.7. Procurar temas universais
2.7.1. Conflito social
2.7.2. Contradições culturais.
2.7.3. Técnicas de controle social
2.7.4. Meios de controle dos relacionamentos interpessoais;
2.7.5. Adquirir e manter tatus
2.7.6. Resolver problemas.
2.8. Escrever um resumo geral

TAREFA
1. Identificar o maior número possível de temas culturais, usando as estratégias apresentadas neste capítulo e em qualquer outro capítulo útil.
2. Dizer todos os tema culturais com afirmações breves.
3. Fazer observação, procurando temas, registrando conversas, fazendo conclusões.
4. Escrever um esboço da sua étnografia, incluindo a parte introdutória.

DÉCIMO SEGUNDO PASSO – Fazer um Inventário Cultural

1. Selecionar um lugar e maneira de fazer um resumo de tudo que já colecionou: caderno, fichinhas, pastas, uma folha grande.
2. Fazer uma lista dos domínios identificados.
3. Fazer uma lista dos domínios analisados: completos, parciais e incompletos.
4. Colecionar mapas.
5. Fazer uma lista de temas.
6. Fazer um inventário de exemplos e ilustrações.
7. Identificar os domínios organizadores.
8. Fazer um índice de assuntos.
9. Fazer um inventário dos dados diversos: artefatos, fotos, etc.

TAREFA
1. Recordar suas anotações e fazer um inventário cultural usando as sugestões neste passo.
2. Fazer uma lista de coisas específicas que ainda quer descobrir por meio de mais observação participante.
3. Realizar um período de observação no campo para preencher quaisquer lacunas nos seus dados.

ÚLTIMO PASSO – Escrever a Etnografia

1. Níveis de descrição
1.1. Declarações universais – “Em todas as sociedades . . .
1.2. Declarações comparativas transculturais – “A cultura X é semelhante à cultura Y . . .” A cultura X é diferente da cultura Y . . .
1.3. Afirmações gerais sobre a cultura – “A cultura X reflete os valores de . . .
1.4. Afirmações gerais sobre um contexto cultural específico – “Os universitários na USP . . .”
1.5. Afirmações específicas sobre um domínio cultural – “Há vários passos a cumprir antes de ser aceito na USP . . .”
1.6. Incidentes específicos – “João fez o vestibular.”
2. Critérios de avaliação
2.1. Grupo alvo declarado ou óbvio
2.2. Uma tese desenvolvida
2.3. Um esboço claro – princípios de organização aparentes. Inclui observações gerais e resumo.
2.4 Teoria aprovada (pesquisa, cultura)
2.5 Preocupação como as pessoas.
2.6. Análises usadas (seja criativo!)
2.7. Entrevistas (onde apropriadas)
2.8. Estilo de descrição
2.8.1. Deve fluir com facilidade
2.8.2. Deve ser interessante
2.8.3. Pode incluir níveis 1.1 a 1.3
2.8.3. Deve incluir 1.4, pelo menos na introdução
2.8.4. Deve dar ênfase nos níveis 1.5 e 1.6
2.9. Bem feito, com cuidado
2.10. Quinze a trinta (15-30) laudas líquidas
2.11. Caderno entregue
2.12. Pontual!

TAREFA
1. Escrever um rascunho de uma etnografia
2. Realizar mais pesquisa se necessário para preencher lacunas nos dados.
3. Escrever a cópia final da etnografia.

[1] Os subpontos são os termos inclusos.

[2] Os números correspondem às origens étnicas dos nomes (e.g. 1=armênio, 2=franceses, 3=anglosaxões, etc.)

Última atualização em Ter, 07 de Abril de 2009 16:26

PageViews (Visitação)

03 de setembro de 2012

Páginas acessadas: 1.115.153
Hits: 6.227.348

Desde 12 de novembro de 2005

Visitantes

You are here Artigos Dissertações Selecionadas Observação Participante