Declaração de Manaus

Quando iniciar o aprendizado da língua ?
25/04/2011
KAYAPÓ – MEBENGOKRE
30/06/2011

Declaração de Manaus

Nós, concluintes da primeira turma do curso de Pós-graduação em Antropologia Intercultural[1] realizada na Cidade de Manaus, sob os auspícios do Centro Universitário Evangélico do Estado de Goiás e do Instituto Antropos, manifestamos nossa gratidão pela realização deste curso e pelas excelentes expectativas que ele nos traz quanto ao futuro.

O curso surge num tempo caracterizado por rápidas e profundas mudanças. A globalização acelerou o surgimento de um processo de integração social, econômica e cultural em toda a sociedade humana. Fronteiras são transpostas e povos estabelecem novas relações de troca resultando em múltiplos processos de interculturalização.

Diante disso, esta especialização em Antropologia Intercultural se caracteriza como um marco educacional e ferramenta de fundamental importância para a interpretação de símbolos e arranjos sociais em ambientes de interculturalidade.

Queremos aqui manifestar nossa apreciação e gratidão aos Doutores e Mestres que pacientemente investiram na elaboração e realização desta especialização, conduzindo-nos pelos caminhos da reflexão e do embasamento teórico, a saber: Professor Dr. Alfredo Ferreira de Souza (UFRR); Professor Dr. Eliseu Vieira Machado Júnior (UniEVANGÉLICA); Professor Dr. José Roberto Bonome (UniEVANGÉLICA); Professora Dra. Maria do Perpétuo Socorro Rodrigues Chaves (UFAM); Professor Ms. Edward Mantoanelli Luz (UnB); Professora Dr. Ana Keila Mosca Pinezi (UFABC).

Entendemos que o valor desta pós-graduação vai muitíssimo além de um título acadêmico, mas objetiva a aproximação entre o conhecimento científico antropológico e as ações sociais e missionárias. Reconhecemos o inestimável valor da Antropologia na relação entre culturas, processos de troca e compreensão dos fatos sociais e que a prática antropológica nos ajuda a aproximar sem intimidar, dialogar sem impor e intervir sem agredir.

Reconhecendo que a história das ciências sociais não omite as relevantes contribuições que agentes como educadores, técnicos em desenvolvimento social, bem como missionários deixaram à academia, é com sentimento de apreço e humildade, que reafirmamos nosso desejo de ser não um segmento antagônico, disputando espaço junto às sociedades com as quais trabalhamos, mas, parceiros, tanto na produção do conhecimento como na defesa dos interesses destes povos.

Assim, nos comprometemos com a produção de material acadêmico que coopere com a reflexão antropológica e missionária, contribuindo com a formação continuada de atores das ciências sociais e manifestamos nosso desejo e expectativa de aproximação, tanto da ciência da antropologia com seu instrumental teórico e prático, quanto de seus pensadores, de forma que possamos caminhar juntos em mútua cooperação, para o bem de todos, especialmente dos povos aos quais servimos.

À luz de um passado de lutas e realizações, empenhamos aqui o nosso compromisso com um futuro promissor e cheio de expectativas de grandes conquistas.

 

Manaus, 03 de dezembro de 2010.

Primeira Turma da Pós Graduação em Antropologia Intercultural


[1] Curso promovido pelo Instituto Antropos e UniEvangélica e coordenado pelo Prof. Eliseu Vieira Machado Junior e Prof. Ronaldo Aleida Lidório.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.